05/10/2017 20h57 - Atualizado em 05/10/2017 20h57

Da paz que excede todo entendimento

Ás vezes você não sabe o por quê tem que fazer algo, mas sabe que tem que fazer. Simplesmente, porque fazer o que você quer não te traz paz.

Da paz que excede todo entendimento
Imagem Reproducção

Já fazer o que você não quer, te deixa leve. É estranho, parece contraditório… Não sei se você já se sentiu assim. Mas eu me sinto assim sempre.

Ás vezes, fazer o que eu não quero – mas que me dá paz – exige que eu passe por cima de mágoas, de rancores, de desentendimentos. Exige que eu perdoe e me coloque no lugar do outro. Fazer o que eu não quero, exige que doe meu tempo e entregue o meu amor a quem não sabe fazer isso por mim, mesmo que tente. E exige que eu passe por cima da minha frustração em não ter do outro o que eu quero ter. E pede que eu ame, incondicionalmente.

Fazer o que eu não quero fazer, inclui abrir mão de coisas que eu desejo muito, de idealizações sobre momentos bons que eu quis passar. Sabe lá se seriam tão bons assim.

Ninguém disse que seria fácil fazer o que é preciso fazer. Muito menos se guiar por uma paz que se sente, mas não faz tanto sentido. Mas uma coisa eu lembro, e confio: essa paz nunca me enganou. Me guiar por ela, deixar que ela seja o árbitro do meu coração, tem me feito caminhar, vacilando menos e aproveitando outros momentos bons, que talvez valham mais a pena.

Ás vezes nós esperamos muito por um acontecimento. E quando finalmente começamos a vislumbrá-lo palpavelmente, não sei porque, não acreditamos tanto e somos tentados a trocar pérolas por um prato de migalhas.

Mas tenho aprendido que a disciplina é importante. E mais que isso, a obediência. Deus me ama como sou, e apesar de quem sou. E isso não muda, não vai mudar nunca, por nada. Mas há algumas coisas que ele quer que eu faça. E se eu aceitar dar meus passos nessa direção, Ele estará comigo para completar sua obra em mim, e através de mim.

Voltar para o topo
COMPARTILHE A MENSAGEM Facebook Twitter


Comente esta mensagem

Ok