03/12/2018 08h37 - Atualizado em 03/12/2018 08h37

A Estrela do mar (vale a pena ler)

Esta é a história de um poeta que morava numa praia tranquila, junto a uma colônia de pescadores. Todas as manhãs, ele passeava à beira-mar para buscar inspiração, e, à tarde, ficava em casa escrevendo

A Estrela do mar (vale a pena ler)
Imagem Ilustrativa - reprodução


Um dia, caminhando pela praia, viu um vulto que parecia dançar. Era uma pessoa que apanhava algo na areia e jogava ao mar. Repetidas vezes.
Ele foi ao encontro dessa pessoa e ao aproximar-se, encontrou um menino pegando as estrelas do mar da areia e jogando-as, uma por uma, de volta ao oceano. 
“Por que está fazendo isso?” - perguntou o escritor. 
“Você não vê?” - disse o garoto – “a maré está baixa e o sol muito quente. Elas secarão com o calor, vão morrer se ficarem aqui.”
O escritor completou: “Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias neste mundo e milhões de estrelas do mar espalhadas por elas. Você joga umas poucas de volta ao oceano. Que diferença isso faz?”
O jovem sorriu, abaixou, pegou mais uma estrela da areia, jogou-a no mar, olhou dentro dos olhos do escritor e disse: “Para essa, faz toda a diferença.”
A partir desse dia, toda manhã é possível ver numa praia qualquer um jovem e um poeta arremessando estrelas de volta ao mar.

Não importa se o que estamos fazendo vai resolver todos os problemas do mundo. O que interessa é que façamos sempre o nosso melhor. Isto é fazer diferença!

1. Quando foi a última vez que você jogou estrelas ao mar? Alguém já lhe ajudou a jogá-las?
2. E quantas vezes você ajudou alguém a jogá-las?
3. Quantas vezes você parou de jogar estrelas de volta, porque alguém lhe disse que não adianta, não tem jeito mesmo? 
4. Você já se sentiu como uma estrela do mar, lançada de volta ao mar, salva por alguém? 
5. Você se lembrou de agradecer? Ainda há condições de agradecer? Façamos do nosso mundo um lugar melhor. Façamos a diferença!

Reflita sobre esta conhecida história!
Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf
Página Oficial: Carlos Hilsdorf

Voltar para o topo
COMPARTILHE A MENSAGEM Facebook Twitter


Comente esta mensagem

Ok