12/02/2019 07h57 - Atualizado em 12/02/2019 07h57

A fé que anda sobre as águas

Venha praticar sua fé

A fé que anda sobre as águas
Foto Divulgação.

 

Muitas águas temos de atravessar em nossas vidas. Águas de mares tempestuosos, águas profundas, tempos de águas rasas, de águas correntes, de águas paradas. Águas que matam, que fazem nascer, que fertilizam a terra. Águas mansas, águas revoltas, águas que matam a sede, águas que afogam, águas que refrescam, águas que fervem, águas caudalosas de rios ou oceanos, águas escassas do deserto, águas que jorram abundantes e águas extravagantes que correm subterrâneas, a esconder sua grandeza.
Muitas são as águas que encontramos vida afora e todas elas tem seu significado, sua temperatura, seu momento e em todas o Senhor está conosco, "Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão" (Isaías 43:2a). Jesus sabe de todas as provas, de todas as águas que passam, passaram e passarão em nossas vidas e nos faz saber que em todas elas, Ele estará sempre conosco.
De todas as águas que enfrentamos as piores são as águas da incredulidade, da falta de fé, da dúvida, da desesperança, que abatem a alma e nos fazem submergir no fracasso e na falta de visão, na falta de espectativas boas. Deixamos de olhar para o alto e olhamos o mar profundo embaixo de nossos pés.
Sobre isso encontramos no Evangelho de Mateus, Capítulo 14, uma tremenda lição de como se deve enfrentar as muitas águas. Depois de multiplicar os pães e os peixes e curar os enfermos de uma numerosa multidão, Jesus ordenou a Seus discípulos que pegassem um barco e fossem para o outro lado. Eles obedeceram Jesus que subiu ao monte para orar sozinho.
Na quarta vigília da noite (por volta das 3 da manhã), o barco com os discípulos já estava no meio do mar e açoitado por fortes ventos, era uma noite tenebrosa e Jesus foi ao encontro dos discípulos andando sobre as águas, mas quando os discípulos (que não eram exatamente corajosos) viram Jesus andando na direção deles e sobre as águas, acharam que era um fantasma e se apavoraram, gritando de medo.
Jesus tratou de acalmá-los e disse: " Tende bom ânimo, sou eu, não temais" (Mt 14:27). Dito isto, Pedro (afoito como sempre), pediu ao Mestre que se fosse Ele mesmo, que Ele permitisse que Pedro fosse encontrá-lo andando sobre as águas. Jesus disse VEM. Jesus deu um crédito para a fé de Pedro, deixou que ele exercitasse sua própria fé, mas Pedro estava contando só com a força de Jesus. Primeiro Pedro duvidou que fosse Jesus, depois provou a Deus quando pediu para ir de encontro a Jesus e por fim, contou com a fé dos outros discípulos que acreditaram de imediato que era Jesus, não imaginou que teria de usar sua própria fé.
Grande lição para nós, não devemos e nem podemos contar com a fé de ninguém, cada um de nós responde diante de Deus por sua própria fé ou por sua falta de fé, não podemos nos apoiar em ninguém, a fé é personalíssima, não se pode emprestar e nem doar para os outros e nem deles pedir um pouco.
Claro que deu tudo errado. Pedro começou a andar sobre as águas, mas quando ele viu a força dos ventos teve medo e começou a afundar, aí Jesus estendeu a mão e socorreu Pedro e reclamou dele: "Homem de pouca fé, por que duvidaste?"

   


O antídoto da fé é o medo. Quando o medo entra pela porta, a fé sai pela janela. Não dá para conciliar fé e medo, fé e dúvida e fé sem atitude. A fé exige de nós uma postura, um posicionamento, uma atitude positiva diante de fatos negativos, de situações extremas.
Não podemos "malhar" Pedro, ele é um tipo de cada um de nós em alguma ocasião da vida, nem sempre conseguimos sustentar nossa fé diante de situações inteiramente adversas, quase nunca é fácil nos mantermos de pé quando as afrontas, as humilhações, as dificuldades de toda ordem se abatem sobre nossas vidas, mas tem um segredo aí: É Jesus. Só Jesus pode nos socorrer nessas horas, Dele provém nossa fé, é Ele quem nos faz crer, através do Seu Espírito Santo.
Em Hebreus, capítulo 11 (leia) está escrita uma série de passagens onde a fé fez a diferença na vida de vários servos de Deus. Paulo escreveu muito sobre a fé e em Romanos 10:17, ele assinala como importante: "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus".
Leia sua bíblia (todo mundo tem uma bíblia), mesmo que seja aquela bíblia ilustrada, enorme, que muitos têm no console da sala de visitas, aberta no Salmo 91, ou aquele Novo Testamento que você encontrou na cabeceira de um quarto de hotel (Graças a Deus pela vida dos Gideões Internacionais - eles que distribuem esses Novos Testamentos), mas leia! A fé vem pelo ouvir a palavra de Deus, se não há quem ensine, quem explique as Escrituras para você, então leia a bíblia e peça ao Espírito Santo que abra seus olhos espirituais, para que você lendo, entenda.
Fé é também exercício, precisa ser alimentada e é transcendente (sublime). Todos nós devemos pedir fé ao nosso Deus, porque nada agrada mais a Deus que a fé, é só lembrar de como Jesus elogiou a fé, sempre que se deparou com pessoas, e algumas nem eram judias, que tomaram uma atitude pela fé e receberam o milagre desejado.  A mulher com fluxo de sangue, o cego de Jericó, o centurião romano, são alguns exemplos.
A fé é o único elo que nos liga ao sobrenatural, é a única forma de agradarmos a Deus, é a única fronteira sem limites para os seres humanos. Não é fácil, não é simples, mas é o único e mais excelente caminho para uma vida abundante de vitórias.

 

Via Blog Sombra do Onipotente

Voltar para o topo
COMPARTILHE A MENSAGEM Facebook Twitter


Comente esta mensagem

Ok